12/07/2005 14h05

07

A estudante de enfermagem Rebecca Ribeiro Santana está entusiasmada com os benefícios que o Programa Universidades para Todos (ProUni) significaram para sua carreira. “O programa abriu a porta para a gente sonhar e continuar lutando”, afirmou. Aos 19 anos, a aluna da Faculdade de Medicina do ABC, em Santo André (SP), destaca que está cursando o ensino superior graças ao programa criado pelo Ministério da Educação em 2004. “Não teria condições de pagar R$ 850,00 de mensalidade”, admitiu Rebecca. Hoje, Rebecca e seu irmão, Renan, são beneficiados pelo ProUni com bolsas de estudo integrais. Segundo ela, a iniciativa do MEC possibilitou a alunos negros e carentes, como ela e o irmão, cursar a universidade. Das 112 mil bolsas oferecidas pelo programa, 46 mil foram reservadas a estudantes negros e indígenas, de acordo com as proporções em cada estado, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A medida garantiu um acréscimo de 5% no número de alunos negros nas instituições de ensino superior. Voluntária — Depois de concluir o ensino médio em 2003, Rebecca fez o cursinho comunitário da Educafro. Agora, ela é coordenadora do cursinho que atende 21.950 estudantes negros e carentes (com renda de até R$ 390,00 per capita), em São Paulo, Espírito Santo, Minas Gerais, Rio de Janeiro e Distrito Federal. O trabalho voluntário complementa a agenda de atividades da universitária. “Consegui alcançar meu objetivo, mas posso ajudar outras pessoas que precisam passar no vestibular”, disse. No Educafro, Rebeca dá informações sobre vestibulares em outras cidades, sistema de cotas adotado por algumas universidades e Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Além disso, substitui professores de biologia e matemática. Criado em maio de 2004, O ProUni oferece bolsas de estudos integrais ou parciais (de 50%) em instituições de ensino superior privadas a estudantes carentes e professores da rede pública sem curso superior. Este ano, foram oferecidas 112 mil vagas em 1.135 universidades de todo o país. Para 2006, o MEC vai oferecer novas vagas pelo programa.

Compartilhe