Inscrições abertas para o vestibular da FAT

Prof. José Maria Dias Filho, Diretor acadêmico da FAT

Será realizado no dia 06 de junho o segundo processo seletivo de 2009 da Faculdade Anísio Teixeira - FAT. As inscrições estão abertas desde o dia 04 de maio e estenderão até dia 02 de junho para os candidatos que optarem por realizá-las através do site www.fat.edu.br, ou seja, na modalidade não-presencial. Candidatos que desejarem inscrever presencialmente terão um dia a mais, já que nesse caso as inscrições poderão ser efetuadas até o dia 03 de junho.
Ao longo de toda a sua existência, a FAT vem se consolidando como uma referência em diversas áreas do conhecimento. O Curso de Ciências Contábeis, por exemplo, pelo segundo ano consecutivo foi classificada entre as melhores do país na avaliação realizada pelo Guia do Estudante. Além de Contábeis, a instituição oferece os Cursos de Administração, Direito (vespetino e noturno), Enfermagem (matutino e noturno), Redes de Computadores, Sistemas de Internet, Jornalismo e Publicidade e Propaganda.
As aulas do segundo semestre terão início no dia 03 de agosto de 2009, exceto para os candidatos que optarem por Direito, já que as vagas referentes a este curso pertencem ao semestre 2010.1. Neste caso, o efetivo ingresso dos selecionados está previsto para o dia 09 de fevereiro de 2010.

A importância da graduação nos dias atuais

No sistema de educação superior, a graduação corresponde ao primeiro título universitário à qual o indivíduo pode ter acesso. Isso significa que os chamados cursos de graduação são os primeiros a ser frequentados por quem busca uma formação de nível superior. Discorrendo acerca das diversas oportunidades de acesso ao ensino superior, o Professor José Maria Dias Filho, Diretor Acadêmico e Coordenador do Curso de Ciências Contábeis da FAT, salienta que a educação é o único caminho que realmente pode conduzir uma sociedade ao desenvolvimento sustentável. Em sua opinião, qualquer projeto de construção de uma sociedade moderna e desenvolvida só prospera se tiver como base a educação de seus membros.
    José Maria nos lembra que o fortalecimento do processo de integração dos mercados contribuiu para deixar mais claro que países cuja educação se mostra deficiente estão perdendo competitividade.”Um dos motivos, como não poderia deixar de ser, é a baixa qualidade da mão-de-obra, isto para não falar em limitações tecnológicas e outros fatores críticos para o desenvolvimento socioeconômico aplicando-se esse mesmo raciocínio às organizações públicas e privadas”.
O professor afirma que “Quanto menos se estimular o desenvolvimento intelectual dos seus integrantes, quanto menos receptivas às inovações, quanto menos se disseminar o conhecimento, maior o risco de se deteriorarem ou pelo menos de se tornarem ultrapassadas. Por mais sofisticados que sejam seus arranjos produtivos, sem as ferramentas intelectuais nada terá sentido, ou seja, sem a força transformadora do conhecimento a sua sobrevivência ficará severamente comprometida”, concluiu.
Para a professora Luciana Boeira, professora do curso Comunicação Social, o mercado de trabalho está cada vez mais concorrido, e, para assegurar espaço nesse mercado é absolutamente fundamental que se tenha pelo menos uma graduação nos dias atuais. Reportando-se aos benefícios da educação, a referida professora conclui destacando que “estudar é ampliar a mente e ter um leque de oportunidades mais amplo no caminho”.
   
Programas de incentivo ao ensino.

Para alunos que precisem de apoio financeiro objetivando custear as despesas de um curso superior, existem alguns programas de grande significado. Um deles é o FIES - Programa de Financiamento Estudantil e o outro e outro chamado PROUNI - Programa Universidade para Todos.
O FIES é destinado a apoiar a graduação de estudantes que precisem de apoio financeiro para arcar com os custos de sua formação em instituições de ensino superior da rede particular. Os critérios de seleção são objetivos e conferem transparência ao Programa para garantir que os recursos a ele vinculados sejam distribuídos de forma justa e igualitária.
 Já o PROUNI é um programa que oferece bolsas de estudos complementares de 25%, parciais de 50% e integrais em instituições de educação superior privadas, em cursos de graduação e sequenciais de formação específica a estudantes brasileiros sem diploma de nível superior.
A todos que precisem de apoio financeiro para ter acesso ao ensino superior, a FAT disponibiliza os dois programas, ou seja, tanto o FIES como o PROUNI, observadas as condições previstas na legislação vigente. O Coordenador do Programa de Bolsas e Financiamento da FAT, Adailton José Silva, salienta que a instituição só oferece bolsa integral quando se trata de PROUNI.  Ainda segundo Adailton, para este Programa, a FAT reserva 10% das vagas oferecidas em cada curso, a depender do número de inscritos. 
 

Compartilhe