Residência em Psicopedagogia Hospitalar

Psicopedagoga Juliana L. Pereira

A Psicopedagogia se ocupa em pesquisar acerca dos processos de construção do conhecimento, assim como as dificuldades na produção dos mesmos. A Associação Brasileira de Psicopedagogia a define como um campo de atuação em Saúde e Educação que lida com o processo de aprendizagem humana: seus padrões normais e patológicos considerando a influência do meio - família, escola e sociedade - no seu desenvolvimento, utilizando procedimentos próprios da Psicopedagogia. (www.abpp.com.br)

O Psicopedagogo pode atuar em três dimensões: clínico individual, grupal e institucional. A área institucional não se limita às escolas, mas também universidades, empresas e hospitais. Dessa maneira os trabalhos psicopedagógicos não se restringem apenas a assistência ao problema, mas também, a prevenção e a promoção da saúde, ou seja, desenvolvem atividades com professores, alunos, sujeitos hospitalizados ou em instituições afins para evitar que alguma dificuldade de aprendizagem se instale, além de promover processos de humanização e aprendizagem nos ambientes hospitalares.

A Residência em Psicopedagogia Hospitalar é uma proposta de formação para psicopedagogos que desejem atuar diretamente em hospitais. O trabalho é desenvolvido dentro de unidades hospitalares, atendendo pacientes de qualquer idade.

O Psicopedagogo Hospitalar tem como principal objetivo contribuir, junto com outros profissionais, na promoção da saúde. Insere-se numa proposta de trabalho multidisciplinar. Uma das funções desse profissional é implementar uma visão humanizadora na relação e no trato com os pacientes. O estado do sujeito hospitalizado não se fragiliza apenas nos aspectos orgânicos, o afetivo e o cognitivo também são afetados.

No ambiente hospitalar, o paciente é visto como um portador de uma determinada patologia, nessa visão o Psicopedagogo Hospitalar busca redimensionar a singularidade do sujeito, ressignificando o viver, colaborando com a promoção da saúde do enfermo. Nesse sentido, a escuta e disponibilidade para acolher são fatores primordiais na relação do psicopedagogo com o paciente.

No contexto hospitalar o Psicopedagogo não trabalha com dificuldades de aprendizagem, sim, cria situações de aprendizagem que permitam que o paciente sinta-se “vivo”, capaz, interligado ao mundo externo, apesar de estar hospitalizado.

Portanto, a formação do Psicopedagogo Hospitalar vai além do estudo de teorias da aprendizagem humana. Ao mesmo tempo em que contempla conhecimentos outros, pode se colocar disponível e restrito ao ambiente hospitalar. Faz-se necessário à formação do Psicopedagogo Hospitalar competências e conhecimentos diversos na área da aprendizagem e da saúde, assim convidamos aos interessados a cursar a Residência em Psicopedagogia Hospitalar oferecida pela Faculdade Anísio Teixeira.

Juliana L. Pereira
Psicopedagoga
ABPP 1140

 

Compartilhe