Oficinas capacitam docentes para a prática da pesquisa

Prof. Dr. Miguel Rivera levantou discussões sobre os potenciais da pesquisa.

Aspectos da pesquisa acadêmica e formação profissional foram assuntos das Oficinas de Capacitação Docente realizadas através do Núcleo de Apoio ao Docente (NAD), nos dias 14 e 15 de junho, na Faculdade Anísio Teixeira (FAT).

O ciclo de atividades teve como foco professores de todos os colegiados da instituição que acompanharam discussões como ‘Métodos Quantitativos e Pesquisa Aplicada’ durante oficina ministrada pelo coordenador do Centro de Pesquisa e Extensão da FAT, professor Doutor Miguel Rivera Castro. O pesquisador levantou questões como os potenciais da pesquisa aplicada, a convergência entre os métodos quantitativos, as áreas de pesquisa e a busca por um modelo de análise que possibilite explicar problemáticas.

O modelo de análise de regressão consiste na realização de uma análise estatística e verificação da existência de uma relação funcional entre uma variável dependente com uma ou mais variáveis independentes.

“O modelo escolhido deve ser coerente com o que acontece na prática. Precisamos pensar uma análise quantitativa aplicada ao modelo de regressão estatística, relacionando, por exemplo, salário e educação, criminalidade com gasto público ou até mesmo as notas de alunos em uma disciplina específica para a área da educação”, explica.

Ainda, segundo o pesquisador, o modelo possibilita que cada professor possa inserir métodos quantitativos em áreas acadêmicas individuais de atuação.

Entre os participantes, Julita Freitas Coelho, professora dos colegiados de Enfermagem e Nutrição, afirma que a oficina trouxe um ganho real para o corpo docente.

“Tivemos aqui a instrumentalização para a prática da pesquisa. Assim, orientaremos nossos estudantes na elaboração de um TCC [Trabalho de Conclusão de Curso] com mais aporte metodológico e riqueza de dados”, explica.

A professora também ressalta sobre as “chances que aumentam de um trabalho acadêmico ser publicado em artigos com um qualis [sistema brasileiro de avaliação de periódicos] mais elevado”, e ainda pontua que o resultado prático da qualificação docente contribui diretamente para o currículo do professor e da própria carga de produção científica da FAT.

Formação profissional

“Inserir o conteúdo da própria disciplina na ‘construção das competências múltiplas e na formação profissional”. Este foi o assunto abordado pelo palestrante Marcos Gilberto dos Santos, professor Mestre convidado para a segunda oficina do ciclo de Capacitação Docente da FAT.

“O professor não necessita de disciplinas específicas para trabalhar, por exemplo, competências interpessoais”, explica o palestrante. Ele ressaltou que o docente precisa aprender relacionar competências profissionais como autogestão, técnico-operacionais, analítico-estratégicas, políticas, culturais e contextuais no fazer docente em sala de aula.

Avaliação

Na avaliação da professora Doutora Nildecy de Miranda Nascimento, coordenadora do NAD, as oficinas foram idealizadas a fim de qualificar a prática docente na instituição.

“Queremos um profissional motivado, cada vez mais capacitado, e que consiga dialogar entre seus pares estabelecendo vieses interdisciplinares”, afirma a coordenadora.

O NAD também fez parte de reuniões com professores e coordenações dos colegiados de Ciências Contábeis, Administração, Publicidade e Propaganda, Jornalismo, Direito, Serviço Social, Medicina Veterinária, Nutrição, Psicologia, Pedagogia, Redes, Sistemas, Engenharia de Produção e Enfermagem.

Ao final de cada oficina os docentes receberam certificados de participação com carga horária de 8 horas.

ASCOM FAT

Compartilhe