MEC quer mais prazo para aluno financiar curso

05

Para aumentar a eficiência do ProUni e do Fies (outro programa federal de financiamento estudantil), o MEC anunciou que enviará ao Congresso projeto de lei com mais prazo para o pagamento do financiamento e a possibilidade de desconto em folha quando o recém-formado estiver trabalhando. No Fies, o prazo máximo para pagamento é de uma vez e meia o tempo de financiamento. Se o aluno financiou quatro anos, o prazo para quitação é de seis anos. A proposta é ampliá-lo em duas vezes -oito anos seria o prazo no exemplo acima. Quanto ao ProUni, ao apresentar o plano para educadores, no mês passado, o ministro Fernando Haddad disse que haveria mudança no sistema de pagamento das bolsas para estimular o aumento de bolsas integrais, permitindo que o aluno tenha metade da mensalidade paga pelo MEC via ProUni e a outra metade financiada. Para Ronaldo Mota, secretário de Educação Superior do MEC, os mecanismos de financiamento do governo terão de se adequar ainda a um perfil de aluno que já concluiu o ensino médio há algum tempo -ele diz que mais de 40% dos universitários têm mais de 24 anos. Oliver Mizne, da Ideal Invest (empresa que atua com financiamento estudantil), diz que o alto percentual de adultos sem ensino superior completo -só 9% da população entre 25 e 60 anos tem diploma- indica demanda reprimida no setor. Para ele, a falta de opções de financiamento com pagamento de mais longo prazo afasta muitos estudantes dos campi. "Quando oferecemos nosso produto em algumas universidades, percebemos que mesmo esse estudante de nível socioeconômico mais baixo se dispõe a pagar um curso de melhor qualidade e mais caro se for dada a ele uma boa opção de financiamento. É por isso que a aposta que fazemos vai na contramão desse discurso de que a expansão chegou ao limite."

Compartilhe