Mais de 50% dos graduados brasileiros trabalham em outra área

09

Fonte: Folha Dirigida Cerca de 53% dos formados no país trabalham em outras áreas. Esse foi o resultado da pesquisa realizada pelo instituto de pesquisa Observatório Universitário comparando microdados do Censo IBGE de 2000. A pesquisa mostrou que a profissão de 3,5 milhões de trabalhadores é diferente daquela para a qual se prepararam. O número representa 53% do total analisado, e varia conforma a carreira. Em enfermagem, o índice é de 84%. Em geografia, é de só 1%. A baixa correlação entre a área de formação e a de trabalho levou os pesquisadores Edson Nunes e Márcia de Carvalho a definir, no título do trabalho, esse quadro como "A Grande Besteira Educacional Brasileira: um Ensino Profissional que Não se Aplica às Profissões que o Defendem". De acordo com o pesquisador Edson Nunes, a situação reflete a elaboração brasileira de seu modelo de ensino, definido como "o pior dos mundos" . Nunes também afirma que o Brasil oferece uma educação secundária de péssima qualidade e uma profissional muito precoce, o que faz com que nossos filhos tenham sua vida de estudantes secundários pautada por vestibulares. Outro motivo que engessa a educação, segundo Nunes, é a pressão das corporações profissionais para limitar a atuação no mercado, regulamentar as profissões e interferir na definição dos conteúdos ensinados. Para ele, o objetivo maior do ensino superior é preparar pessoas competentes e com formação sólida.

Compartilhe