Haddad afirma que taxa cobrada para financiamento estudantil deveria cair

09

Fonte: Agência Brasil Brasília - Os estudantes que quiserem obter o Financiamento Estudantil (Fies) devem ficar atentos à taxa de juros cobrada pela Caixa Econômica Federal, que é de 9% ao ano. Na opinião do ministro da Educação, Fernando Haddad, a taxa deveria ser menor. “Eu penso que ela [a taxa] deve cair. Por dois fatores: em primeiro lugar, porque a inflação está em patamares históricos nunca atingidos, muito baixa; e em segundo lugar porque a taxa de juros Selic [taxa básica da economia brasileira] também está caindo dramaticamente”, disse o ministro. Segundo Haddad, para mudar o valor da taxa, é preciso rever a lei, ou seja, elaborar um projeto de lei a ser submetido ao Congresso Nacional, que poderá fazer cair a taxa de juros de 9% para um patamar inferior. Quanto à forma de pagamento, a Caixa informa que, durante o curso, o estudante paga um valor reduzido, de R$ 50 a cada trimestre, que vai sendo aos poucos abatido do saldo devedor. No primeiro ano após a conclusão do curso, o aluno paga parcelas mensais equivalentes a 50% do valor da mensalidade do último ano de estudo. Após o segundo ano, o prazo fica 50% maior que o seu tempo de estudo (duração da faculdade) para quitar o financiamento, a partir do final do curso. A classificação dos candidatos ao financiamento depende de critérios socioeconômicos. Ganham mais pontos os estudantes de famílias de baixa renda. Também terão prioridade os candidatos que tenham cursado o ensino médio completo em escolas públicas ou que ainda não tenham o curso superior completo. Estudantes de famílias em que haja mais de uma pessoa estudando sem bolsa, ou que não morem em casa própria, também têm mais chances de conseguir o Fies. “O que mais reprova, às vezes, é a questão da renda familiar, do avalista, porque nós temos alguns critérios que avaliam o perfil socioeconômico do aluno, que vai desde a questão da renda, até a questão da condição de habitação, se é própria, a questão se ele é estudantes de faculdade privada e não tem subsídio, enfim, tem vários critérios analisados pela CEF”, explica o vice-presidente de Transferência de Benefícios da Caixa, Carlos Borges. As regras para obter o Financiamento Estudantil e o formulário de inscrição estão no site www3.caixa.gov.br/fies.

Compartilhe